17/04/2018 10:04 - Atualizado em 23/04/2018 02:02

Morre aos 97 anos, no Rio de Janeiro, a sambista Dona Ivone Lara

A artista sofria de complicações renais e estava internada no CTI há duas semanas

Marcos Ferreira
Guitar Talks
Dona Ivone Lara - Foto: Sambabook

A dama do samba, Dona Ivone Lara, morreu na noite desta segunda-feira, aos 97 anos, completados neste mês. Ela sofria de problemas renais agravados pela idade e estava internada há duas semanas no CTI da Coordenação de Emergência Regional, no Leblon, zona sul do Rio de Janeiro.

Em entrevista ao Portal UOL, o neto da artista, André Lara, contou que “ela teve uma queda brusca de pressão e, em seguida, uma parada cardíaca por volta das 22h".

Homenageadas por diversas vezes por ícones da MPB, ela também foi destaque na coluna “Hoje é dia”, assinada por Ladenilson Pereira aqui no Guitar Talks, como você pode conferir a seguir:

Trajetória

A cantora e compositora Dona Ivone Lara, nasceu em 13 de abrik de 1921. Com uma carreira iniciada em 1947, participou da Escola de Samba Prazer da Serrinha e, com o fim desta, ingressou no Império Serrano, na qual se tornou a primeira mulher a ser aceita na ala dos compositores. Ao lado de Silas de Oliveira e Délcio Carvalho, assinou um dos maiores sambas-enredo de todos os tempos, “Os Cinco Bailes da História do Rio”, em 1965.

Nos anos 70, participou de vários discos coletivos e de shows com Roberto Ribeiro, Grupo Exporta Samba, Elizeth Cardoso, Cristina Buarque, entre outros. Conquistou o grande público, quando sua composição “Sonho Meu”, arrebatou o Brasil no dueto formado por Maria Bethânia e Gal Costa, em 1978 (além da refinada dupla de intérpretes, a letra chamava a atenção por apresentar uma das mais requintadas prosopopeias da MPB: “Sinto o canto da noite na boca do vento”).

A partir daí, começou a se apresentar também no Exterior, e a ser reverenciada como uma das maiores representantes do samba; status que só aumentou com o passar do tempo, graças a criações como “Acreditar”, “Sorriso Negro”, “Tiê”, “Mas Quem Disse Que Eu Te Esqueço”, “Enredo do Meu Samba”, “Alguém Me Avisou” e “Força da Imaginação”.

Estas e muitas outras joias integram os álbuns “Canto de Rainha” (a aniversariante divide os vocais com grandes nomes da música brasileira) e o disco duplo da série “Sambabook” (feras como Maria Bethânia, Criolo, Vanessa da Mata, Leci Brandão, Adriana Calcanhotto, Zélia Duncan, Elba Ramalho e Caetano Veloso revisitam sua obra).

Para quem deseja conhecer melhor sua trajetória, a dica é o livro da jornalista Mila Burns “Nasci para sonhar e cantar. Dona Ivone Lara, a mulher no samba".

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE

RELACIONADAS

FACEBOOK