10/11/2017 09:10 - Atualizado em 30/11/2017 22:37

Ouça "Nêgo Roque", o multifacetado novo disco da banda OQuadro

Segundo trabalho dos soteropolitanos bebe em várias referências da black music e traz participações de Raoni Knalha, BNegão, Emicida, Indee Styla, Pedro Itan e DJ Gug

Felipe Madureira
Guitar Talks
OQuadro - Foto: Rafael Ramos

A Bahia já revelou monstros sagrados da música como Tom Zé, Caetano Veloso, Raul Seixas e Gilberto Gil. Terra de fenômenos do mercado musical, como a axé ano 90, o solo de Jorge Amado mais recentemente trouxe toda a vitalidade do Baianasystem. Agora é a vez da banda OQuadro que traz um som que tem tudo pra também marcar história.

Os soteropolitanos lançam o segundo disco "Nêgo Roque" que vem com participações de peso: a lista é composta por Raoni Knalha, BNegão, Emicida, Indee Styla, Pedro Itan e DJ Gug. O projeto foi selecionado para receber o patrocínio do edital Natura Musical e do Governo do Estado, através do FazCultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia. 

A musicalidade vagueia entre referências do hip-hop (do boom bap ao trap). Mas a parada é bem mais multifacetada, com direito à samba, jazz, zouk, soul e música eletrônica. Faixas como "Jahggant" (que ganhou um videoclipe – veja no final da matéria) mostram a versatilidade do grupo. A faixa é centrada na percussão de fanfarras a lá New Orleans e carnavais antigos, com pitadas de jazz, rap e o peso de uma Gibson Flying V.

"Nêgo Roque" foi produzido pela própria banda em parceria com Rafa Dias e gravado no Estúdio T, em Salvador. Com mixagem assinada por André T. e a masterização por conta de Felipe Tichauer (US). A banda é formada por Jef Rodriguez (voz), Nêgo Freeza (voz), Rans Spectro (voz), Ricô (voz/baixo), Rodrigo DaLua (Guitarra e Synth), Vic Santana (bateria), DJ Mangaio (programações) e Jahgga (percussão). 

“Tem muita informação, mas ao mesmo tempo é minimalista. Digamos que traz uma ideia bastante atemporal. Acreditamos que vá soar moderno e antigo”, explicam. Com base nesses gêneros musicais diferenciados, a produção da obra mistura uma melodia violada, com um groove de baixo e se resulta em um som que os artistas nomeiam como música negra contemporânea.

O álbum independente foi gerado por meio de um processo colaborativo. Entre os parceiros, Raoni Knalha, BNegão, Emicida, Indee Styla, Pedro Itan e DJ Gug. Como tema central, os artistas levantam questões sobre os valores sociais, bens culturais e existencialismo, apresentando o olhar do cidadão nascido no interior da Bahia ou em qualquer periferia, que enxerga a cultura hip-hop como arte contemporânea popular. 

ACESSE o LINK e ouça "Nêgo Roque".

Assista ao clipe de “Jahggant”:

E também ao de “Muita Onda”:

COMENTÁRIOS

PUBLICIDADE

RELACIONADAS

FACEBOOK